Programação II Fórum

II FÓRUM NACIONAL DE MUSEUS INDÍGENAS

III ENCONTRO DE MUSEUS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO

O II Fórum Nacional de Museus Indígenas reúne representantes de povos indígenas que desenvolvem processos museológicos em seus territórios no Brasil, para a troca de experiências e saberes, articulação interinstitucional e formação em rede. Este encontro faz parte das atividades da Rede Indígena de Memória e Museologia Social, criada em 2014, que vem realizando encontros periódicos que estão propiciando a consolidação de uma articulação em rede que envolve povos indígenas de diversos estados brasileiros.

Além dos encontros presenciais, esta articulação vem sendo feita através das redes sociais, que estão sendo fundamentais para a circulação de informações e a rapidez do contato. Nos últimos anos, vários momentos propiciaram a aproximação dos indígenas que protagonizam processos museológicos e ações educativas com memória e patrimônio cultural em vários estados brasileiros, possibilitando o fortalecimento deste processo de organização nacional através da formação dos núcleos locais e da conexão de povos indígenas da região das cinco regiões do país que estão dialogando sobre questões afins.

O III Encontro de Museus Indígenas em Pernambuco é um evento acadêmico bienal organizado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Etnicidade da Universidade Federal de Pernambuco (NEPE/UFPE), desde 2012. Originado de ações extensionistas desenvolvidas junto aos povos indígenas pelo NEPE/UFPE, em sua terceira edição o Encontro acontecerá junto ao II Fórum Nacional de Museus Indígenas, reunindo aos indígenas, pesquisadores, estudantes e gestores públicos para dialogar sobre coleções etnográficas, museus indígenas, acervos indigenistas, processos museológicos colaborativos, formação de acervos, qualificação técnica para a gestão museológica, articulação em rede e políticas públicas no diálogo com o Estado, entre outros temas correlatos ao debate sobre museus, memória e patrimônio cultural junto às populações indígenas no Brasil.

PROGRAMAÇÃO

Dia 16 de agosto, Terça-Feira

MANHÃ

8:00h

Credenciamento dos participantes

9:00h

Ritualística de abertura do II Fórum Nacional de Museus Indígenas e do III Encontro de Museus Indígenas em Pernambuco – Palavras de abertura

Apresentação das delegações e participantes

Caciques, pajés e lideranças tradicionais dos povos presentes

Rede Indígena de Memória e Museologia Social, NEPE/UFPE, PPGA/UFPE, Museu do Homem do Nordeste/FUNDAJ, Museu do Índio/FUNAI-RJ, APOINME, COPIPE, COJIPE, Coordenação Regional Nordeste 1/FUNAI, IBRAM, Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco e FUNDARPE

10:30h

Conferência de abertura – “Museus Indígenas, Desafios e Oportunidades”

Profa. Dra. Lux Vidal (USP- IEPE)

12:00h – Almoço

TARDE

14:00h

A apropriação dos museus pelos povos indígenas: um diálogo global – Hugues de Varine (França) – vídeo gravado especialmente para o II Fórum Nacional de Museus Indígenas do Brasil

15:00h

Reunião da Rede Indígena de Memória e Museologia Social

Pauta: Histórico da Rede Indígena de Memória e Museologia Social e apresentação da proposta do II Fórum Nacional de Museus Indígenas

Coordenação: Suzenalson Santos (Museu dos Kanindé/CE), Ronaldo Siqueira (Museu Kapinawá/PE), Fabrício Narciso dos Santos (Museu Kuahí dos Povos Indígenas do Oiapoque/AP), Lucilene de Melo (Museu Wowkriwig/SP) e Luiz Weymilawa Suruí (Museu Paiter A Soe/RO)

NOITE

20:00h

Noite cultural

Lançamento do vídeo-documentário “Museu Kapinawá” (26min.) – Dir. Ítalo Jones Marinho (UEPB)

Samba de Coco Kapinawá

Dia 17 de agosto, quarta-feira

MANHÃ

9:00h

Painel 1 

Acervos indigenistas, coleções etnográficas e educação intercultural: diálogos colaborativos com os museus indígenas

Coordenação: Renato Athias (NEPE/UFPE)

Participantes:

Cláudia Lopez (Museu Paraense Emílio Goëldi/PA)

Fabrício Narciso dos Santos (Museu Kuahí/AP)

Leandro Cruz (Projeto Xingu/UNIFESP-SP)

Josué Carvalho (UFSC)

Antônia Santos (Museu dos Kanindé/CE)

Nilvânia Barros (UFAM/Benjamin Constant-AM)

Edna Silva (Museu do Homem do Nordeste/FUNDAJ)

Dominique Schoeni – Museu Etnográfico de Neuchatel (Suiça)

10:00h

Reunião dos membros da Comissão de Jovens Indígenas de Pernambuco/COJIPE com os gestores e educadores do Museu do Homem do Nordeste (MUHNE/FUNDAJ)

Pauta: Organização de uma agenda de trabalho conjunto

Mediação: Maurílio Nogueira Truká (COJIPE) e Sílvia Barreto (MUHNE)

12:00h – Almoço

TARDE

14:00h

Painel 2

Políticas Públicas, Patrimônio Cultural e Museus Indígenas: continuidades e descontinuidades

Coordenação: Alexandre Gomes (UFPE)

Participantes:

Suzenalson Santos – Museu dos Kanindé e UFC

Joana Mundurucu – Colegiado Setorial de Patrimônio Imaterial – CNPC/MinC

Maurício Antunes – Fundação Joaquim Nabuco/FUNDAJ-MEC

Eliete Pereira – ATOPOS/ECA-USP

Daniel Tiberio Luz – Unyleya e coordenador do Programa de Patrimônio Cultural do PBA-CI de Belo Monte

João Paulo Vieira Neto – Rede Cearense de Museus Comunitários/RCMC

Representante do IBRAM

Severino Pessoa – SECULT/PE

Chiquinho de Assis – Coordenação para Povos Tradicionais e Populações Rurais/SECULT

Epifânio Ferreira dos Reis – SESAPI

Mírian Briano – Prefeitura Municipal de Buíque

Manoel Tomé – Prefeitura Municipal de Tupanatinga

Adauto Bodegão – Prefeitura Municipal de Ibimirim

NOITE

20:00h

Ritual na mata da aldeia Mina Grande

Dia 18 de agosto, quinta-feira

MANHÃ

 

9:00h

 

1º- sessão -Troca de saberes e experiências entre processos museológicos indígenas no Brasil

Mediação: Ana Cristhyna (Organização dos Jovens Indígenas Kapinawá/OJIKA)

Participantes:

Museu dos Kanindé/CE – Suzenalson Santos

Povo Fulni-ô – Iveraldo Pereira

Museu Indígena Pitaguary/CE – Pajé Barbosa

Oca da Memória (povos Tabajara e Kalabaça/CE) – Mariza de Souza Machado

Vladimir Rodiporo (professor, artesão e estudante da Licenciatura Intercultural da UEMA) – povo Canela-Rankokamekrá/MA

Awaé Waura – Povo Trumai/MT, SPDM (Associação Paulista para o desenvolvimento da Medicina) – Parque indígena do Xingu

Museu Indígena Potyguara da Serra das Matas/CE – Rosa Veras

Museu Indígena Potigatapuia/CE – Socorro Potyguara

Francisco Ismael de Souza – Associação Comunitária do Amarelão e conselheiro Titula da CNPI pelo RN – Povo Potiguara de Mendonça do Amarelão (João Câmara/RN)

 

 

12:00h – Almoço

TARDE

14:00h

Painel 3

Arqueologia, Antropologia, História, Museologia e Saúde Pública: diálogos colaborativos com os povos e museus indígenas

Coordenação: Suzenalson Santos (UFC e Museu dos Kanindé)

Participantes

Ugo Maia Andrade (UFS)

Manoel Souto Maior (arqueólogo/UFPE)

João Damasceno Jr. (Centro de Pesquisa de História Natural e Arqueologia do Maranhão)

Nilza Silvana Teixeira (UFAM)

Cibele Barbosa (FUNDAJ)

Suzy Santos (PPGMUS-USP)

Laureni Dantas de França (UFPI)

Eduardo Tardelli (Núcleo Audiovisual – TI Apucarananinha/Tamarana-PR, povo Kaingang)

 

NOITE

20:00h

Noite Cultural

Apresentação teatral da Organização dos Jovens Indígenas Kapinawá/OJIKA

Contação de histórias dos povos presentes, com caciques e pajés, na beira da fogueira

Brincadeiras tradicionais, troca de presentes e de sementes entre os povos

 

Dia 19 de agosto, sexta-feira

9:00h

2º- sessão

Troca de saberes e experiências entre processos museológicos indígenas no Brasil

Mediação: Luiz Suruí (Museu Paiter A Soe)

Participantes:

Museu Kapinawá/PE – Ronaldo Siqueira

Museu Kaingang de Nonoai/RS – Josué Carvalho

Museu Indígena Jenipapo-Kanindé/CE – Heraldo Alves Preá

Povo Tupinambá da Serra do Padeiro, Ilhéus/BA – Zeno Oliveira (professor do Colégio Estadual Indígena da Serra do Padeiro/Ilhéus/BA)

Ninawa Huni Kui – presidente da FEPHAC (Federação do Povo Huni kui do Acre) e membro do Colegiado Setorial de Culturas Indígenas – CNPC/MinC

Museu Kuahí/AP – Fabrício Narciso dos Santos

Museu-Escola Pankararu/PE – Rita de Cássia

Museu Paiter A Soe, povo Suruí/RO – Luíz Weymilawa Suruí

Representante dos povos indígenas do Piauí

Centro Espírita Canzuá do Velho Xango/Casa Grande do Marinheiro – Roberto de Mané Miguel (quilombo-indígena Tiririca dos Crioulos/Carnaubeira da Penha/PE)

 

12:00h

Almoço

TARDE

 

14:00h

3º- sessão

Troca de saberes e experiências entre processos museológicos indígenas no Brasil

Mediação: Joana Munduruku (TO) – Colegiado Setorial de Patrimônio Imaterial/Conselheira do CNPC/MinC

Participação:

Museu Wowkriwig (Sol Nascente) – Lucilene de Melo

Frederico Pereira (membro da brigada dos guardiões da floresta e organizador do acervo do Museu da aldeia Juçaral) – povo Guajajara da TI Araribóia/MA

Museu Indígena do Futebol – Douglas Bandeira (quilombo-indígena Tiririca dos Crioulos/Carnaubeira da Penha/PE)

Museu Virtual Muka Mukaú/BA – Antônia Silva Pataxó

Projeto O Sagrado Brasileiro/RJ – Cristiane Panjota

Centro de Cultura e Memória Kaingang da TI Apucarananinha/PR – cacique Natalino Jagu

Francisco Kaudag Patte Neto – Povo Laklanôn – Xokleng/SC, aldeia Palmeirinha.

Casa de Memória do Tronco Velho Pankararu/PE – Cristiane Julião e Luana Bárbara

Memorial Tapeba Cacique-Perna-de-Pau/CE – Pajé Raimunda Rodrigues Teixeira

NOITE

20:00h

Noite Cultural

Visita ao Museu Kapinawá

Forró pé-de-serra – Sanfoneiros Kapinawá

 

Dia 20 de agosto, sábado

MANHÃ

9:00h

Rodas de conversa em grupos temáticos

Gestão museológica, territórios indígenas e patrimônio cultural – Suzenalson Santos (Museu dos Kanindé/CE) e Luiz Weymilawa Suruí (Museu Paiter A Soe/RO)

Formação e capacitação – Fabrício Narciso dos Santos (Museu Kuahí/AP) e Josué Carvalho (Museu Kaingang de Nonoai/RS)

Políticas públicas, sustentabilidade e fomento – Joana Munduruku (Colegiado Setorial de Culturas Indígenas/CNPC-MinC)

Estratégias para articulação em rede (cidades, estados e regiões)  – Ronaldo Siqueira (Museu Kapinawá/PE) e Lucilene de Melo (Museu Wolkriwig/SP)

 

12:30h

Almoço

TARDE

14:00h

Assembléia Geral da Rede Indígena de Memória e Museologia Social

Pauta: apresentação dos resultados dos Grupos de Trabalho; definição da data e local do III Fórum Nacional de Museus Indígenas; apresentação e aprovação do documento final do encontro; outros.

 

17:00h

Ritualística de encerramento do II Fórum Nacional de Museus Indígenas

 

NOITE

20:00h

Festival Multicultural da Rede Indígena de Memória e Museologia Social

Confraternização de encerramento

 

Dia 21 de agosto, domingo

MANHÃ

7h. Café da manhã e retorno dos participantes

————

Oficinas

História indígena da Aldeia do Macaco: trabalhando com documentos históricos em sala de aula

Ministrante: Carlos Fernando dos Santos (SEDUC/PE)

Indicação: professores indígenas, principalmente, do povo Kapinawá

Objetivo: apresentar aos professores indígenas as potencialidades do uso pedagógico dos documentos históricos e cartográficos sobre os povos indígenas de Pernambuco, no ensino de História. Como objeto de estudo e recurso didático, serão compartilhados um conjunto de documentos históricos dos séculos XVIII e XIX que registram as populações indígenas assentadas na antiga Aldeia do Macaco, localizada no atual território do Povo Kapinawá.

www.redememoriaindigena.net.br : possibilidades e funcionalidades do site da Rede Indígena de Memória e Museologia Social

Ministrante: Samuel Oliveira/CE (Rede Cearense de Museus comunitários)

Indicação:representantes dos museus indígenas que serão responsáveis por gerenciar a página da Rede Indígena de Memória e Museologia social

Objetivo: Apresentar noções básicas para a utilização do site www.redememoriaindigena.net.br pelos integrantes da Rede Indígena de Memória e Museologia social com ferramenta de comunicação, articulação e troca de experiências.

Pintura corporal indígena: cultura, arte e técnica

Ministrante: Benício Pitaguary/CE (artista plástico)

Indicação: indígenas interessados em aprender técnicas e métodos de pintura corporal com jenipapo e urucum

Objetivo: dialogar sobre pintura corporal entre populações indígenas, abordando sua origem, simbologia e importância para a conservação e fortalecimento de práticas e conhecimentos tradicionais.

Construindo Ocagonas

Ministrante: João Paulo Vieira (Rede Cearense de Museus comunitários)

Indicação: pessoas que tenham habilidade com trabalhos em madeira e no uso de equipamentos como serrote, tico-tico etc. e demais interessados.

Objetivo: Sensibilizar os participantes para a importância de implementação de técnicas sustentáveis de reciclagem de coco em encontros/fóruns, através do compartilhamento de técnicas e da construção de banheiros secos para serem utilizados pelos participantes do evento, as Ocagonas.